prisão waldryano

Prisão Capítulo 49

23:20Waldryano RJ


Por Waldryano | Para o blog Waldryano
Troca de Roupa
Capítulo 49

Lara foi na delegacia, Nelma a acompanhava. Lara ouviu e leu sobre a nova denuncia.
Então, Lara, o Robson vai ser solto?Perguntou Nelma aos prantos. pois estava emocionada.
Lara olhou para ela com um olhar de negação.
-Nelma alguém denunciou ele. Disse que o Robson sempre estava indo naquele local atirar, o local um terreno baldio e que ouviu tiros e o pior, segundo à denuncia o Robson frequentemente matava cachorros naquele lugar.
-Que horror Lara, o Robson nunca faria tal crueldade com animais.
-Mas infelizmente a evidencia é que mataram cachorros com a arma que foi encontrada no carro do seu namorado e isto é uma evidencia forte. Pela gravidade do ato, Robson foi considerado um meliante perigoso e terá que esperar o julgamento preso.
Nelma escutou tudo o que Lara estava lhe dizendo logo a abraçou.
-Por favor Lara ajude ele, o Robson é inocente.
-Eu sei disso, mas para a justiça o que vale são as evidencias e elas o incriminam.
-Por favor Lara se ajoelhava Nelma: -Por favor...
Lara olhava para o horizonte estavam na frente da delegacia, e observou que o carro da impressa, daquela radio local estava se aproximando, achou conveniente sair daquele local.
-Devemos manter a calma, nós somos tudo o que o Robson pode contar neste momento. O seu amor e a minha defesa.
-Nelma enxugava as lagrimas e dizia, E Deus certamente se o Robson não tivesse convicção que Deus cuida dele não suportaria tanta injustiça.
-Dentro do carro Lara dirigia e falava assim; - Só há uma maneira de livrar o Robson, pensei analisei raciocinei as possibilidades só há uma maneira.
-Qual? Perguntou Nelma.
-Dar um jeito de encontrar o Nilmar e convencer ele se entregar...
-Ele é perigoso, mas penso que estava sendo influenciado por seu pai. Mas como encontrar ele? Dizia Lara atravessando mais uma esquina. –Não deixou pistas nesta cidade, já andei pesquisando.
Já na casa do Robson, Nelma arrumou cuidadosamente os pertences de Robson colocando a Bíblia em cima da caixa. Lara a esperava no carro.
Robson passou vários dias na Prisão, naquela mesma cela, e aquele policial que outrora o ajudar, tornou-se evangélico, buscou a Deus e teve um encontro com ele.
Robson começou a ler o livro de Jó como Nelma primeiramente lhe instruirá, ficou conhecido lá na prisão como o pastorzinho, os presos respeitavam ele, e Robson sempre ajudava o carcereiro, policial que tornou-se um grande amigo:
-Não entendo como um moço bom que nem você se envolve com encrenca e acaba aqui, espero que saia daqui. Robson você tem uma vida pela frente e é um bom moço.
Robson com seu jeito e personalidade conquistava a simpatia dos outros presos.
E tempo estava sendo tão produtivo que passava e Robson nem percebia, mas o tempo passava e a cada dia estava mais próximo do seu julgamento.
**
-Lara que lugar terrível de se alugar, dizia Nelma olhando a casa.
-Tenho uma boa explicação, não contando qual seria deixando no ar essa tal de explicação e Lara, e continuou falando:
-Porque Nilmar e o seu pai saíram as pressas da cidade? E continuava. Claro, incriminaram o Robson, mas deixar essa casa imobiliada ? E deitava na cama de casal do único quarto da casa.
-Aí Lara, limpe isto antes de se deitar, contestou Nelma.
-Não ligo pra isso não, e olhava o teto pensativa, quero ficar 15 dias aqui é o necessário.
Lara alugara a casa por três meses, deu um cheque sem fundo na imobiliária, não que lhe faltasse dinheiro, é que ela queria descobrir onde o dono da casa estava morando, pois pesquisando descobriu que a imobiliária depositava diretamente na conta do proprietário, e este logo após o deposito repassava os valores a ela.
-Você sempre foi enigmática...
-Hoje vai visitar o Robson?
-Sim vou, dessa vez a mãe dele vai junto, a Nelma estava toda empolgada.
-Como é viver com a sogra perguntava Lara?
O pai e a mãe do Robson foram morar por um tempo na casa da Nelma para evitar as perseguições. Depois que o Robson foi preso, atacaram pedras na casa dele e picharam o muro com letras garrafais: MONSTRO, Ao receber alta do hospital o pai de Nelma propôs isto ao casal e sem alternativa aceitaram.
-La em casa ela descansa, e eu ajudo ela, depois daquele principio de AVC ela ficou bastante debilitada necessitando de repouso.
-E como ela ficou ao saber que o filho esta preso, dizia Lara.
-Já se acostumou, hoje ela sabe de toda a história, foi contado a ela aos poucos e com muito cuidado e ela foi assimilando e aceitando.
-É Nelma não tem muito o que fazer, deve-se aceitar a situação.
-Todos nós sabemos que o Robson entrou numa tremenda fria e o Nilmar e o seu pai que são responsáveis pela morte daqueles animais e a quase ter tirado a vida do Zecão.
-E o Zecão? Perguntou Lara.
-Sobre ele, a única coisa que nos resta é orar, o quadro dele não evolui, mas a vida dele esta de baixo dos joelho dos jovens lá da Igreja.
-Alias Lara, quando você vai visitar nossa igreja?
-Logo, logo respondeu Lara...
Até estou lendo a Bíblia, arrumando sua Bíblia na escrivaninha, arrumou e deixou-a aberta próxima a cama. Nelma observou que ela estava terminando de ler Lucas.
De repente toca o celular de Lara.
A Lara olha o visor, certificasse de quem é o numero.
-Nelma não se importa?
-Não claro que não, já era tardinha e a Nelma foi à cozinha preparar algo para comerem.
E Lara atendeu o celular:
-Nossa que descuido!Era a moça do banco no outro lado da linha.
A moça dizia: - Não se preocupe Lara Você sempre foi uma ótima cliente, resolvemos isto por telefone, transferimos os valores de sua outra conta, que tem um saldo considerável.
-Não, eu faço questão de ir na agencia compensar esse xeque.
-Que descuido, repetia Lara e dava um sorriso de contentamento. Depois de dias em silencio e incerteza ela estava desenhando mentalmente uma solução para o caso Robson.
Contou para a Nelma que precisava voltar para a capital resolver esse arranjado problema e assim o fez.
***
No outro dia já na agencia ela cobriu o cheque e perguntou a gerente.
-Qual é a conta que retornou o valor, de modo desentendido...
-É que estou alugando uma casa do titular desta conta.
A gerente olhou para Lara a principio parecia não desconfiar de nada. Lara conseguia demonstrar confiança nos seus atos.
-É daqui mesmo da capital, disse a gerente, engraçado Lara você tem dois imóveis, observava os históricos no computador. Porque alugar?
E Lara respondeu:
-Não, não é aqui que estou alugando este imóvel, mas no interior, estou a trabalho lá.
-E o titular disse Lara disfarçadamente a gerente, logo ela a respondeu:
-Me deixe ver aqui...
-A sim...
-Nilmar, e disse o sobrenome que Lara não recordou. A gerente olhou novamente a Lara e prestativa lhe ofereceu o endereço e logo alertou:
-Você sabe que passar endereços não é algo correto, já sentindo algo estranho no ar. Mas vou passar para você assim mesmo, se perguntarem digo que não sei de nada.
E passou num papelzinho o endereço, Lara ficou sorridente e disse a si mesmo, ao ler o endereço...
-Que feliz coincidência, justamente no bairro que já conheço bem o Senhor Nilmar quis fazer morada?
Foi ao hotel,dormiu no dia seguinte foi na casa do endereço e de longe observou Nilmar, confirmando se era mesmo ele com uma foto em mãos.
Foi seguindo ele que saia de sua casa, Lara sentiu uma estranha sensação, como se alguém a tivesse observando. Nilmar entrou num café.
Lara por sua vez, sentiu estar muito social, e achou sua roupa inadequada para a ocasião, precisava ser precisa na abordagem e no bairro, tinha uma loja de departamento, bem próximo do café, logo ali próximo entrou nesta loja.
-Bom dia, posso ajuda-la?
-Procuro um conjunto de roupas bem jovial, pode ser essa combinação, ela mostrava uma roupa da vitrine, a vendedora disse:
-Vai ficar linda em você, e buscou a numeração da Lara.
E ela trocou de roupa.
A vendedora levou um susto feliz disse:
-Nossa outra mulher! Nem parece aquela mulher que entrou nesta loja.
Lara sorriu para ela e disse.
-Sim, me visto com roupas clássicas pois sou advogada, gosto de me vestir desta maneira.
-Ah sim, disse a vendedora, tentando ser o mais simpática possível.
-Mas garanto que você deve ter rejuvelhecido uns cinco anos com esse look, até parece ter uns dezoito aninhos com essa roupa menina! E Lara lhe disse:
-Tenho vinte e cinco anos, ajeitando se em frente ao espelho.
A vendedora olhou para a Lara e falou:
-Só mais uma coisinha...
E foi se aproximando de Lara e deste modo foi abotoar um botão da sua camisa e ela observou algo estranho e disse:
-O que é isto?
Lara, ela mesmo arrumou seu botão solto escondendo o colete a prova de balas.
Deu uma risada desconfortável e disse:
-É minha cinta modeladora.
A vendedora arregalou os olhos curiosa, pois nunca vira tal modelo.
-Bobinha, nem precisa,és perfeita... Depois de uma pausa Lara disse assim:
-Quanto custa? E pagou.
-Você não se importa de guardar minhas antigas roupas, a vendedora ajudava retirar as etiquetas, vou ali naquele café a frente, e já retorno buscar.
-Sim, e a vendedora olhava mais uma vez para Lara.
-Só mais outra coisinha, disse a prestativa vendedora. Acho que combina soltar os cabelos. E soltou.
Os cabelos de Lara estavam com um coque, agora soltos eram lindos fios louros com o movimento do vento.
-Nossa menina, que cabelo lindo, porque prender ele?
-Sou advogada, replicou Lara, gosto deste ar clássico, aproveitando,guarde pra mim, dando lhe seus óculos.
-Não terá dificuldade de enxergar?
-É de leitura nem preciso usar ele. Lara observou que tinha ficado muito tempo na loja e fez questão de apressar-se Nilmar poderia ir embora. –Já volto.
E saiu em direção ao café, nesta caminhada dois motoristas quase colidiram seu carro para olhar aquela loira que passava a rua. Lara agora dava sorrisos tímida e elegante, fechou a porta, pois o café tinha uma grande porta de vidro que mantinha uma temperatura ideal determinada por ar condicionado.
O que mais chamou a atenção de Lara foi um fato: - Uma enorme foto, no centro do café, tipo pôster de dois amigos e leu acima no letreiro: - Café dos amigos.Observou que Nilmar estava sentado já tomando seu café admirando a foto.
Lara sentiu um estranho frio na espinha a cada passo que dava. Ela estava com um colete e uma pequena arma escondida na sua bota que combinava perfeitamente com seu novo look sabia que o Nilmar poderia ser inofensível ou perigoso estava preparada para o que fosse e sabia muito bem o que queria: -A confissão de Nilmar.
Olhou para a mesa onde Nilmar estava sentado, deu um sorriso meio tímido, puxou a cadeira e disse:
-Com licença, posso sentar com você?
Prossegue.
#Lara esta determinada em extrair a confissão de Nilmar, é a única maneira de Livrar Robson de uma injustiça. Aguardem o próximo capitulo, votem e comentem, Deus abençoe a todos os meus queridos leitores...
Muito obrigado pela visita, não esqueça de dar maizinhos no Google+ e curtir no Facebook, para comentar aqui tem que ser seguidor. Então siga-me no Google Friends, os links estão abaixo.

You Might Also Like

0 comentários

Formulário de contato