prisão waldryano

Prisão Capítulo 39

22:41Waldryano Diácono


Por Waldryano | Para o blog Waldryano

Um culto pra recordar [2]
Capitulo 39

Ao entrar na prisão agora estava ajudando o pastor, antes passamos por uma revista, eu seria responsável pelo louvor, o Pastor pela mensagem, tivemos que deixar nossas identidades na recepção, mais dois obreiros nos acompanhavam e mais dois músicos, o policial dizia.
-Ela é nova?
-Sim, mas é de total confiança era será a adoradora.
-O policial, olhou para a Nelma com a impressão de já a conhecer.
Olhou de novo, e lembrou de onde a conhecia, ele pensou:
-Sim é a namoradinha do rapazinho. Ficou quieto, pois não apresentava problema, e o rapaz, tinha 'adiantado o lado dele'.
O Pastor logo disse:
-Nossa,esta perfumado esse lugar.
-Sim pastor demos uma geral aqui.
O policial chamou os integrantes do culto e passou todo o procedimento de segurança. A Nelma ficou ansiosa e tremula, pois era uma situação nova a ela.
-Não se preocupe Nelma eles respeitam os crentes, sabe Nelma esses presos tem muito temor. Eles tem umas leis que eles levam bastante a sério. E autoridade religiosa, é bem respeitada nesta lei deles.
-O policial,complementou: –E isto é verdade, nunca tivemos problemas com pastores por aqui.
Entramos e já estava tudo organizado.
-Nossa amigo hoje esta tudo organizado.
-É pastor hoje o culto vai ser bom! Dizia o policial,enfim terminem ai de arrumar que vou organizar a vinda do seu publico.
-Das minhas ovelhinhas, policial, das minhas ovelhinhas...
E os músicos instalavam o som arrumavam a mesa que seria o púlpito, tudo com uma agilidade que a Nelma se impressionava, a Nelma por sua vez, conversava com a outra Irma combinando os louvores da harpa, e o Pastor explicava como era a liturgia deste culto.
-Aqui devemos louvar no momento da palavra será uma ministração,devemos ser sorridentes, e ser água fresca em meio a esse deserto, darmos nosso testemunho de Cristão.
A Nelma conversou com o musico com seu violão acústico,já estava tudo arranjado.
Neste instante, chegava o pai do Robson e esperava na sala de espera, conversava com a Lara que também estava lá, os parentes do Robson todos sumiram ninguém apareceu. Era somente o Pai e a advogada. O pai da Nelma não pode vir por conta do serviço não permitir.
Antes do culto, todos os obreiros e músicos o pastor e a Nelma se ajoelharam e oraram, a Nelma folheou uma Bíblia que estava no banco, feliz iria ver o Robson a instantes, seu coração estava disparado de emoção.
E veio os prisioneiros sentavam todos de modo organizado.
A Nelma se assustará com tanta organização.
O Pastor disse: -Eles andaram aprontando tempos atrás e perderam a visita, agora estão uma seda, se comportam muito bem.
-Que benção pastor!
Começou foi assim uma leitura bíblica onde os presos acompanhavam e liam os versículos, com uma dificuldade ortográfica, a leitura parecia um pouco truncada, mas como crianças todos quiseram ler, no banco ao lado era os visitantes enchiam cinco bancos, mulheres crianças idosos, o pai do Robson e a Lara.
O Robson ficou de pé próximo a porta, o policial da revista ficou junto com ele.
O pastor falou:
-Todas as terças feiras eles escolhem um preso de confiança pra ficar junto ao policial carcereiro.
O obreiro que iniciou a leitura continuada finalizou, lendo novamente o texto bíblico.
A Nelma olhava tímida ao seu amor, mas era um momento de ministrar um culto.
E começou os louvores da harpa, e na Bíblia tinha harpa e os presos e seus familiares cantavam e sabiam o ritmo,estava sendo lindo aquele louvor.
A leitura Bíblica foi outro obreiro.
Iniciou o período de louvor, e um preso pediu a oportunidade e louvou.
-Tem um irmão que aceitou a Jesus, outra ovelhinha,pagando pelo seu pecado aqui, mas lá no céu Deus já perdoou.
-Das garras da morte Jesus me tirou, era parte da canção daquele preso,A Nelma nervosa pois era ela a próxima, no mesmo momento, louvava com verdade junto aquele preso, e os presos começavam a cantar junto, era uma sintonia inexplicável algo surreal para quem escutava, até os policiais deixavam suas atividades e vinham ver os louvores que ocorria naquele lugar, e o Pastor falava.
-Eu sinto o Espirito Santo neste lugar Nelma.
E vai amada Nelma é com você.
E Foi a Nelma louvar o seu louvor:
Começou meio rouca, era o Nervosismo,olhou para o Robson que esboçara um sorriso lá da porta o Nervosismo passara, o irmão do violão já tinha passado a introdução uma vez, olhou para a Nelma ela fez sinal para ele repetir e começou a louvar:
As cores do arco-íris
A brisa a murmurar
O olhar apaixonado de alguém que esta aprendendo a amar
As palavras de uma historia
As estrelas a brilhar
Deus criou o mundo todo pra testemunhar
Pois enquanto eu viver
Vou testemunhar do amor
Que minha vida seja prova da existência do Senhor
Cada passo que eu der seja oferta de louvor
Pois enquanto eu viver vou cantar do Seu amor
As montanhas e os vales
Os rios e os mares
Alguém que estende a mão pra ajudar a levantar o seu irmão
Um sorriso de criança
O perfume de uma flor
Testemunham em silencio o amor do Criador
Pois enquanto eu viver
Vou testemunhar do amor
Que minha vida seja prova da existência do Senhor
Cada passo que eu der seja oferta de louvor,
Pois enquanto eu viver vou cantar
Vou falar do seu amor
Pois enquanto eu viver
Vou testemunhar do amor
Que minha vida seja prova da existência do Senhor
Cada passo que eu der seja oferta de louvor
Pois enquanto eu viver vou cantar do Seu amor
Pois enquanto eu viver
Vou testemunhar do amor
Que minha vida seja prova da existência do Senhor
Cada passo que eu der seja oferta de louvor
Pois enquanto eu viver vou cantar do Seu amor.
Os presos olhavam aquela levita perplexos um preso que era meio brincalhão disse:
-Nossa parece um rouxinol cantando essa moça.
E a Nelma começou a louvar novamente desta vez, os presos acompanhavam o louvor já aprenderá a letra com palmas, e os policiais também cantavam, era algo inexplicável, o pastor olhava ao alto e glorificava ao Senhor, um vento impetuoso passeava naquele lugar, e o louvor tocava o coração daqueles presos,naquele instante não parecia uma prisão, um pátio de sol,naquele instante parecia um templo de adoração.
O pastor pregou um ensinamento que fez os presos ficarem vibrados olhando baseado em Mateus 6 o sermão da montanha. Coisa linda de se ver.
Ele lia que os pássaros que estão solto Deus trazia o sustento e os presos diziam, nós somos passarinhos presos.
E o pastor replicava. –Tudo tem o seu tempo determinado,né? Vocês estão em um momento que podem buscar a Deus leiam a palavra dEle, que o tempo passara depressa e ele trará o sustento.
O culto foi finalizado, e os presos tinham uma hora para ficar com seus familiares, o pai do Robson explicou a ele a ausência da Madalena os presos ficaram todos felizes com seus familiares,mas o que movimentou as visitas do Robson foi a saída da Lara.
-Quem é ela? Disse o Robson para a Nelma que olhava de longe aquela visita com seu pai que não entendia. É a sua advogada já volto vou ver o que ela foi fazer, Neste instante veio o pai do Robson em silencio abraçou o filho e disse:
-Filho a moça foi buscar um envelope que veio do fórum agora.
E retornou a Moça com o tal envelope.
-Oi Robson, nem nos apresentamos, sou a sua advogada, tá vendo esse envelope.
-Via sim um envelope branco na mão daquela moça bem vestida de óculos que realmente parecia com uma advogada.Neste momento a Nelma pegou na minha mão, eu olhei para ela, estava curioso o que será que seria aquele envelope?
-Estou vendo sim, olhava novamente para a Nelma ela sorria pra mim,eu? Queria abraçar ela beijar ela, ser grato, lembrei no momento do sabonete e da declaração de amor dela.
-Fale moça o que tem dentro deste envelope.
-Dentro deste envelope tem a decisão da promotora, de você ficar preso, ou responder o inquérito em liberdade.
-Olhei para ela, minha visão ficou um pouco turva, liberto!
Meu pai me apoiou, a Nelma também, estava com as pernas fraquejadas.
-Calma Robson,Busquem um copo de água para o rapaz!
O Policial que se tornara um amigo, foi buscar o copo de água. Eu olhava para aquela elegante moça e ela colocava suas delicadas mãos dentro daquele envelope e retirou a folha, vi que tinha um timbre na folha.
Ela leu ajeitou o óculos, e me olhou novamente...
Prossegue.

Muito obrigado pela visita, não esqueça de dar maizinhos no Google+ e curtir no Facebook, para comentar aqui tem que ser seguidor. Então siga-me no Google Friends, os links estão abaixo.

You Might Also Like

0 comentários

Formulário de contato