poesia evangélica reflexão

A alvorada do amor [poesia]

16:51Waldryano Diácono


A alvorada do Amor

Um horror grande e mudo, um silêncio profundo.
No dia em que o pecado amortalhava o mundo.
E Adão, vendo fechar-se a porta do Édem.
Vendo que Eva olhava o deserto e hesitava tremendo disse:
-Chega-te a mim! Entra no meu amor.
E a minha carne entrega a tua carne em flor!
Treme contra o meu peito o teu peito agitado,
E aprenda amar o amor, renovando o pecado!
Abençoo o teu crime, acolho o teu desgosto,
Bebo-te de uma em uma, as lagrimas do teu rosto!
Veja! Tudo nos une! Olhe toda a criação,
Sacode o mesmo horror e a mesma indignação...
A cólera de Deus torce as arvores, crestes?
Como um tufão de fogo o seio da floresta,
Abre a terra em vulcões, encrespa a água dos rios,
As estrelas estão cheias de calafrios...
Ruge soturno o mar, turva-se hediondo o céu...
Vamos! Porque isto Deus? Desata-te este véu!
Sobre a tua nudez seus cabelos, vamos!
Arda à chama em chão, rasquem os ramos,
Morda-te o corpo ao Sol, injuriem-te os ninhos,
Surjam feras vivas de todos os caminhos
E, vendo-te a sangrar das urzes através,
Emaranham-se no chão as serpes aos teus pés...
Do que importa? O amor, botão apenas entreabertos,
Ilumina o deserto e perfuma em secreto!
Amo-te! Sou feliz! Por quê? Do Édem Perdido?
Levo tudo, levando comigo o teu corpo querido.
Pode ao redor de ti, tudo se aniquilar?
Tudo renascerá cantando ao teu olhar
Tudo! Mares e céus, arvores e montanhas
Porque a vida perpétua arde em tuas entranhas!
Rosas te brotarão da boca, se cantares!
Eu Te amo, e a vida nasce deste amor que tenho por ti.



Autor da poesia: Waldryano

Hoje é um dia muito especial, primeiro é o meu aniversário, 31 anos e esta é a minha trigésima primeira postagem,Que Deus continue me abençoando neste ano de 2014



You Might Also Like

0 comentários

Formulário de contato